sexta-feira, 11 de setembro de 2015

76.

Sobre esta crise de "refugiados"...

(serve o presente parentisis para avisar que é favor deixar de ler quem: 
- não é capaz de aceitar opiniões contrárias à sua;
- for sensível à exposição alheia de argumentos (mais válidos ou menos válidos que os seus);
- não quiser mais sequer "ouvir falar" deste assunto)

Não sei se é do conhecimento de todos os que por aqui passam que, há 2 anos, vivi em Espanha durante algum tempo. Durante esse tempo, e garanto-vos que não vou exagerar, TODOS OS DIAS, os telejornais abriam com a noticia de que havia mais não sei quantas centenas de nigerianos, nepaleses, senegaleses (and so on...) que haviam tentado (alguns conseguido) atravessar a fronteira para a Europa em Ceuta. Centenas de emigrantes ilegais. A nado, em barcos de borracha, em jangadas feitas de garrafas de plástico. Imaginem quase tudo do que possam ter feito um barco... Nessa altura, aqui em Portugal, de que se ouvia falar? O problema era espanhol, italiano, grego...

Há umas semanas que, um pouco por TODO O MUNDO, se vem falando dos milhares de emigrantes sírios que estão a chegar à Europa, fugidos do clima de guerra do seu país. 
- Primeira pergunta: essa guerra foi motivada por quê? (sim, separado... não quero o porquê, quero a causa)
E, de repente, Portugal, que é sempre pioneiro nestas histórias de ajudar os outros, chega-se à frente para receber 3mil (???) "refugiados".
- Segunda pergunta: em que condições vamos receber estas pessoas?
Diz-se por essa comunicação fora que, a UE vai disponibilizar algumas verbas para o apoio a esta causa.
- Terceira pergunta: e vai? 
Ao que parece, diz-se por essa Internet fora (que é tão válido como qualquer outro meio de obter informação) que vão existir alojamentos, trabalhos, formações para esses 3mil (???) "refugiados".
- Quarta pergunta: porque é que o meu pai foi obrigado a "refugiar-se" noutro país se, afinal, cá há trabalho para ele?

Pois é... ainda não perceberam o objectivo deste post? Então se leram até aqui com o estômago em revolta, parem de ler aqui, porque vem aí a minha opinião.

Sim, sou contra esta ideia de receber "refugiados" sírios. Se por nenhuma outra razão (que existe e eu já a digo), pelo menos pelo medo que essa gente (me) causa só de abrir aquela boca para falar da sua religião e da necessidade de sermos todos muçulmanos, porque quem o contrariar vai arder no Inferno, não merece a vida. Olha que bom! (só para esclarecer que eu não sigo nenhuma religião)
E a outra razão é, como já disse em vários sítios: acho revoltante num país em que se vive no limiar da pobreza, um país com uma taxa de migrantes gigante por falta de trabalho, oportunidades e condições, vai receber outros 3mil (???) que vêm para receber o que "cá não há" (segundo se ouve há 40 anos).
Ciganos que são ciganos não trabalham, vivem dos RSI's que eu e outros descontamos mas que nos vão ser negados quando chegar a nossa altura de ter uma reforma. Sírios que são sírios, se não vieram também usufruir desses rendimentos, vêm trabalhar como "mão de obra barata", em lugares que deviam ser (bem) pagos, de alguém competente para o fazer, mas que não há dinheiro para lhe pagar, viver em casas que os nossos tiveram que abandonar por não terem como as manter.

Já para não falar de sem abrigos aos milhares que existem por essas ruas fora, que não têm apoios dos autarcas que os vêem a dormir às suas portas, mas que vão oferecer alojamentos a 10 ou 20 famílias de "bombistas" (e oh como eu quero estar enganada em relação a esta malta!).

E não, não pensem que sou daqueles que acha que é "nós ou eles"... Eu sou é a favor do "primeiro nós, e depois eles". Ou se quiserem, "eles sim, mas nós também".

9 comentários:

Urso Misha disse...

Se ainda possível, vê o programa 60 minutos para veres o que se passa em Londres. Os teus receios, lá são realidade. Há 4 ou 5 anos o atentado nos autocarros, as ruas islâmicas.
O problema não são esses todos que aí vêm, são só os poucos radicais que conseguem nas mesquitas incitar ao ódio e ter a sharia nas ruas.
Mas o politicamente correcto do Europeu teima não ver.
Ajudar sim, mas com cautelas e sim também gostava de ter mais informações, sobre quanto tempo cá vão ficar, que presumo seja o que eles (os refugiados) entenderem, irão trabalhar? irão ficar a viver dos rendimentos?

Suricate disse...

"Choca, mas já me choca há quase 4 anos quando a besta que está no poder na Síria começou o genocídio...e ninguém mexeu uma palha para o de lá tirar até hoje! Hopócritas!
Está toda a gente muito chocada com as consequências, mas ninguém fala das origens dos diferentes problemas. Síria, Líbia, Iraque...Aliás fala, agora fala. fala porque chegaram à Alemanha...e agora sim é urgente resolver o problema. Não me interpretem mal, sim que se ajude toda a gente!
A nós tiraram-nos o emprego, tiraram-nos a casa, tiraram-nos o pão...e agora aqui del rei ajudar os refugiados?! E os portugueses que se matam por não conseguirem sustentar a família, quem os ajudou a eles?!?!?!? Há hoje sem abrigo na rua gente que há um/dois anos atrás tinha uma casa...
Em Lisboa nasceram de repente 2 milhões para ajudar os refugiados?!?!? Como?!?!? Então já não há gente a passar fome é isso? Temos pleno emprego e já foram criadas oportunidades para todos os sem abrigo de Lisboa poderem viver com trabalho e dignidade? É isso?
Cada refugiado custa 1.200€...e cada português recebe 500€ de salário, desculpem lá eu sou péssima a matemática, estou confusa com os números que tenho ouvido nos últimos dias, já tenho pouco a pesar-me na consciência querem agora ainda que carregue com o peso de não poder ajudar os refugiados?! Que os ajude quem pode! Mandem-nos para a Alemanha, para a Finlândia, Suécia, Suiça, Noruega Dinamarca, Estados Únidos, escolham! Quem lhes criou o problema tem a obrigação de os receber.
Agora cães, gatos, passarinhos...o nosso coração tem espaço para tudo e para todos cada um no seu lugar, não devia era haver espaço para mesquinhices e comparações idiota"

Escrevi isto noutro blog a propósito de estar chocada ou não com a famosa foto (quem não ficou), mas também a propósito de pessoas que são insultadas por fazer posts/campanhas/apoio a causas de proteção animal, enfim vai uma confusão geral nessas cabecinhas.
Como concordo contigo e tenho pouco tempo, fiz copy/paste, porque continuo perplexa com a "solidariedade" portuguesa, claro que houve logo alguém a achar que serei certamente uma herege desalmada e pouco solidária....jinhooooossss e bom fim de semana:)

Cabanas disse...

Isto é quase como o ser Charlie... já há por aí imensos romenos e kosovares e etc... alguns coxos e todos torcidos costumam estar a pedir nos cruzamentos... outros com mini cães às costas e a tocar concertina andam por ai a mendigar... a nossa cota de imigrantes está mais do que ultrapassada... para além disso onde andam os sheiks dos em emirados árabes unidos? Porque não acolhem estas gentes?

Lia disse...

Urso, há muito que não vejo televisão e do que me tenho apercebido é apenas em jornais e /ou Internet, mas há pouco, num momento de puro tédio, vi um pedaço do Jornal da Uma (TVI) e falaram em 10 meses em que vão ter casa, alimentação, curso de portugues e formações (tudo "à pala"), e depois desse tempo, logo se verá.

Mamã Suri, o teu comentario completa na perfeição o meu post.

Cabanas, essa pergunta já foi feita inumeras vezes.... sempre sem resposta!

Anónimo disse...

Uma palavra define esta verborreia: Xenofobice!

Lia disse...

Anonimo, duas palavras definem o teu comentario: Volte sempre! ;)

Suricate disse...

Ahahahahahahahah:)

Estás bem "piquena"?!:)

jinhoooooossssss

Lia disse...

Mamã Suri, eu estou bem.... atolada em trabalho, com folgas "de mês a mês", muito cansada... Mas bem! Feliz e realizada, que é o que se quer :D
E tu? As tuas "piquenas"? E também o teu "piqueno".

Beijinho ♥

Suricate disse...

:)))) A família Suricate está em festa (cigana) tirei dois dias de férias: Amanhã faz 20 anos que eu e MorMeu estamos juntos....nem ele imagina o que o espera:), eu e as pequenas preparamos tudo em segredo: Vou renovar os votos ao pé do mar tal como sonhei...e as minhas filhas serão as "Mestres de Cerimónia":))))

Credo rapariga!!! com folgas uma vez por mês? Assim dás cabo de ti!!! Tem cuidado e juízo, saúde só tens uma!

Jinhooooossssss :)